quinta-feira, 3 de maio de 2012

Arrisco arisco

Sabe quando você sente aquele abraço quente?
Aqueles braços te envolvendo,  te dando muito mais que calor?
A sensação do que é importante junto a ti, a presença a se impor?
Nada mais tem importância, nada alem daquele instante.
Tenho Medo de dizer o nome disso,  Que se chama...
Eu Fugi do mundo, fugi da vida, fugi do amor
E não mais que de repente, voce com teu jeitinho me vivificou.
Eu nego, eu grito: Não te quero não!
Mas Na verdade eu minto...
Quando digo não querer.
minto...
Quando Finjo não sofrer.

Insisto em te querer, mas me blindo.
Me entrego aos pouquinhos, 
Em seu ouvido bem baixinho,
Onde quer que tu esteja, é pra la que eu vou!


Se tu diz pra mim que não sabe,
meio caminho já é metade!
Deixa comigo a outra parte!
Me arrisco e me vou...
Do meu jeito eu chego,
do meu jeito eu saio.
Se eu me cansar ou precisar
O brilho do meu olhar novamente apagará
no teu peito acenderá a dor do que já se foi.


                           Arn



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário